Flipping the bird

Pessoas desprovidas de capacidade pensante são sempre comparadas à animais, alguém já notou isso? É burro pra cá, asno pra lá, mula pro outro lado... Credo, a família dos equídeos em peso! E bem, essa capacidade pensante da qual me refiro não é inteligência já que existem sim pessoas inteligentes com preguiça de sobra de pensar (acredite, conheço aos montes - inclusive eu) e na mesma proporção - senão em maior porcentagem, existem pessoas que além de não serem mais inteligentes que uma ameba, têm preguiça de pensar. E são essas que são invejadas no reino animal por pertencerem à duas espécies ao mesmo tempo.

Ontem à noite me peguei pensando nisso, de chamar pessoas ignorantes de burras ou antas, etc. Acho que é válido dizer que é uma ofensa para os pobres dos animais pois, afinal de contas, eles não têm escolha de serem irracionais e nós, como a raça mais desenvolvida, temos. Além de que ser chamado de mula é um elogio, já que são seres híbridos... Mas ainda assim, optamos sermos incapazes de pensar seja antes de agir ou falar alguma coisa, ou qualquer coisa do tipo. parece que ser mais fácil do que fazer um esforço para retirar as viseiras de cavalo e exergar "além do que se vê".

Com a menção das viseiras de cavalo, fica um tanto duvidoso quem pertence a qual família e quem não pertence. Cavalos selvagens não usam essa viseira, por exemplo, então têm uma visão mais ampla da situação. Já os domados (os que usam a viseira, no caso) vêem só o que lhes é imposto por alguém mais esperto, digamos assim. Se for comparar equídeos com hominídeos, a diferença é pouca já que alguns hominídeos são burros, relincham (falta de comunicação) e "soltam as patas". A única diferença mais gritante é - bem, além de equídeos terem os dentes da Hilary Duff e andarem de quatro por toda a vida - que eles agem por instinto e nós, ignorância.

Quem disse "ignorância é uma virtude" merece troféu joinha de todos os tempos, de verdade. Esta frase nos coloca, honorariamente, em talvez mais de dez espécies diferentes dentro de duas famílias sendo que, cientificamente, deveríamos fazer parte de apenas uma ou talvez, duas... Porém, os macacos estão longe de serem parecidos com cavalos. Observe: o grande empecilho da ignorância humana é a tal da viseira. Ela deixa apenas a ponta do nosso nariz à mostra impedindo que olhemos pro lado e, consequentemente, não nos deixando ver que a situação mais além do que é permitido enxergar. Se conseguíssemos, por pouco tempo que seja, retirar a viseira, poderíamos agir como os reais seres humanos que somos, aliando o instinto para quando for conveniente. Só que isso está longe de acontecer.

Teoricamente, é impossível sermos tão burros (por mais burros que sejamos) a ponto de não querermos tomar conta de toda a classificação científica. Nenhum outro animal consegue isso com tanta maestria sem usar inteligência alguma! Como eu disse: é só na teoria. Humanos deveriam ser humanos, e agirem como manda a cartilha de conduta social e deixarem de incorporar outros animais simplesmente por sermos racionais. Tendo porcos como animais anatomicamente mais parecidos conosco e ainda querendo sermos o que não somos, fica difícil.


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

BlogBlogs