A troca

Quero mantê-lo em uma caixa, em uma caixa
Com tampa e cadeado.
Te asfixiar em meu mundo ao mesmo tempo que,
De fora observarei, observarei com meus olhos negros
Tua excitação plena ao embebedar teus pulmões com ar puro.
Teu coito verbal em meio à nossa loucura,
Teu nirvana de fronte à tua própria sombra em meio a estrondos sobreumanos.

Quero ser a caixa, teu mundo
Teu mundo livre de falsa liberdade
O sim do teu não,
O benefício da tua dúvida e
A golfada de ar que ao mesmo tempo que te alivia, te mata.
Tuas ásperas palavras, desesperadas ao pé do ouvido;
Teu barulho na inerte explosão.
Teu momento entre as pernas,
Tua hora de voltar à vida.


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

BlogBlogs